quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

Dias mágicos a todos os meus especiais

video
Enya - Adeste Fideles

Uma noite de Natal onde tenha lugar o amor e a alegria verdadeiros,
onde todos vós possam ter um pequeno momento mágico que construa o Natal no coração.

domingo, 13 de dezembro de 2009

Hoje dei por mim a reflectir sobre a importância da lealdade. Não só para com os outros, mas sobretudo para conosco próprios e aquilo em acreditamos.

"A lealdade é um dos pilares que sustentam o real valor do homem."
(Textos Judaicos)

"A amizade e a lealdade residem numa identidade de almas raramente encontrada." (Epicuro)

sexta-feira, 27 de novembro de 2009

Casa, house, maison...haus precisa-se

Casa, house, maison...haus... como se antevê não é da casa, não é do edifício que falo... mas de tudo o que significa para mim e para nós. O que me faz bem encontra-se ali.
É o porto de abrigo onde lanço âncora e fico tranquila.
Um porto seguro onde anseio atracar ao fim de cada viagem, semanal, em mar alto.
Aquele pequeno regresso a mim mesma.

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

Dias dificeís


..
Por estes dias vou vivendo estranhas emoções.
Emoções confusas que, ao reflectir, imagino sejam as mesmas de muitos pais. Dos que de facto se preocupam com a educação dos seus filhos.
Não, ainda não vou ser mãe. Apenas sou DT.
O afecto que cresce por aqueles sorrisos bonitos e a necessidade de educar, mostrar caminhos alternativos, definir regras, exigir o seu cumprimento, orientar em dimensões que já deveriam ter sido trabalhadas há muito.
A instituição deixa-me absolutamente por minha conta. Uma turma que a 15 de Novembro conta 32 participações. Sim 32.
Tantas e o que fazer com elas?
A DT é que toma decisões. A Dt tem autonomia para actuar. Peço ajuda ao Conselho de Turma e 45 minutos de conversação têm como conclusão: nada, adiamos para a reunião de avaliação de Dezembro! Nada de trabalho, nada de responsabilidades.
Eu tentei avançar.
Li o Regulamento Interno da Escola de trás para a frente, Subsecção III - Disciplina - e lá estava, medidas correctivas relacionadas com educação cívica e educação para a cidadania.
Horas a fio mergulhada no assunto. Relatórios para a Direcção, recolha de possíveis tarefas a desempenhar pelos alunos, horários dos transportes, análise do horário da Turma, horários dos vários sectores, etc, etc,etc.
E quatro processos são entregues, em mão, na Direcção com relatório, fotocópia das participações, sugestões de tarefas a desempenhar, onde, dia e hora.
- Ah mas a Direcção não tem de receber essas participações! (Ouvi eu).
- Mas o Regulamento Interno diz que a Direcção tem de aprovar. (Retorqui).
- Sim? Deixa cá ver. Ah pois é, pois, pois, deixa ficar.

Direcção aprova? Não aprova?
E sim, saiu o ansiado "Aplique-se!"
Recomeça a maratona:
Convocar E.E., agendar reuniões de acordo com a disponibilidade deles, a qualquer dia/hora, elaborar documentação para os EE tomarem conhecimento das medidas correctivas e horários, redigir informações para a(s) funcionária(s) de serviço naquele(s) sector(es) e àquela hora, reunir com os quatro EE e depois com estes e o respectivo aluno... ... Houve acatamento, zangas feias, revoltas, lágrimas, ... ... incompreensão e intolerância ... e eu ali no meio! Eu não fui feita para isto!
Mas na verdade eu não podia continuar a ouvi-los dizer:
- "O ano passado portava-mo-nos pior e ninguém fez nada!"
__
E agora, como DT tenho de estar presente quando cada um deles (duas vezes cada um) realizar as ditas medidas correctivas de carácter disciplinar.

Exauta! É como me sinto! Exausta!
E pergunto: o castigo é para eles ou para mim????????

domingo, 1 de novembro de 2009

Arte rupestre é contemporânea.

Nova definição de arte rupestre:
Esse tipo de arte é quando pintam qualquer coisa num quadro, e ele é exposto em algum sítio.
Só pergunto: "Falarei eu chinês?"
"Será uma gruta ou um grande bloco de pedra possível de expôr em qualquer sítio???"
-----

quinta-feira, 8 de outubro de 2009

Amigos



Milionária


Sou multimilionária quando nos momentos mais difíceis, os amigos estão aqui. Ficam junto de nós, arrancam-nos de casa para jantar, ou simplesmente aparecem com os filhotes para nos distrair. Outros há, que nos enviam cartas cheias de miminhos e cheiro a eucalipto, outros ainda, bombardeiam-nos com palavras bonitas e há também os que tentam apontar-nos novos caminhos e revelar-nos novas esperanças.
Milionária é como me sinto, porque vos tenho.

Ainda perdida

São tantos problemas, tantas confusões, tantas situações novas, diferentes...
Tanto, tanto, e tão pouco alimento para o coração...
Mais do que uma DT precisa-se de uma Santa Casa da Misericórdia.
Bom, uma Santa Milagreira também ajudava.

quarta-feira, 2 de setembro de 2009

Assombrada

Meio assombrada como a escola que me espera... ...
Uma expressão que em muito se aproxima do sentimento que hoje me invadiu depois de conhecer a minha "nova" e indescritível escola. Basta dizer que quando cheguei não sabia por onde entrar pois aquelas instalações pareciam-me abandonadas há uns cinco anos, no mínimo. O pior é que as pessoas me transmitiram a mesma imagem de abandono. ;-(
Como cidadã deste Portugal, sinto necessidade de convidar o nosso primeiro ministro para lhe fazer uma visita, e, claro, os indispensáveis repórteres com a responsabilidade de mostrarem a realidade e nada mais que isso.
Hoje não foi especialmente agradável, mas ainda estou na expectativa de que aquela escola, ou pelo menos a vila, tenha algo de bom para me surpreender. Aguardo.

quarta-feira, 12 de agosto de 2009

Incursões na jardinagem



- Mas como se deve fazer?
- Oh sei lá, faz-se e pronto.
- Como sabes que é assim?
- Não sei! Desta vez fazemos assim e veremos. Se sobreviverem ; ) fizemos bem. Se não, ops :((.
Não podiam esperar mais. Tadinhas estavam cheias de fome. Terra não havia nenhuma, era só raízes, agora têm um vaso maior e terra nova fofinha, muita!
Aguardamos uma reacção, um sinal positivo (please).

domingo, 9 de agosto de 2009

Solnado (1929-2009)


Reconheço que foi uma figura de referência, não tanto para mim, mas antes para a geração que me precede. Ainda assim, também eu vou ter saudades desse rosto: ainda na meninice entrava em nossa casa e reunia a família, em volta do televisor, para ver “A Visita da Cornélia”, (da qual não tenho muitas memórias, mas recordo-me dos adultos falarem da dita Cornélia) ou o “Há Petróleo no Beato” e desse, vi eu muitos episódios. Gracejos que aliviavam o cansaço dos pais e a nós, nos permitiam vê-los ali sentados, sorridentes, libertos da canseira e dos problemas do dia-a-dia, e (mais importante) disponíveis para lhes saltarmos para o colo ou tão só para a perna (o que era bem diferente).
O que nele, "Raul", me chateou imenso, foi o facto de tantas vezes ter entrado lá em casa e nunca me ter olhado nos olhos para esclarecer que o seu nome era Raul Solnado e não “Raul Soldado”, o malandreco! Sempre a brincar!
Era eu já crescida quando descobri a verdade.

Acima de tudo, transmitiu-me, a imagem de um homem bom.

Hoje congratulo-me por ter sido homenageado atempadamente, foi no dia 18 de Fevereiro, na Casa do Artista, aquando da Maratona do Humor.

Diz quem com ele se aventurou:
‘Ele mudou o sentido de humor, fez tudo o que tinha a fazer. Dificilmente alguém irá tão longe’ – Herman José

‘Vou recordá-lo para sempre. Quando se recorda uma pessoa para sempre, ela não morre’ – Nicolau Breyner

Chamaram-me “tóxica” porque não resisto um dia que seja sem café, e agora...

Chamaram-me “tóxica” porque não resisto um dia que seja sem café, e agora...
acho que tenho uma nova dependência:

quando passo um dia sem estar, pelo menos, com um deles fica um vaziozinho (ui é assim que se escreve?) no peito. É grave? Devo consultar o Sr. Doutor?

sábado, 1 de agosto de 2009

Ser tia, como se criança fora entre eles.






















Estivemos na praia do Pedrogão: tios (as), sobrinhos, avós.
Cresceram os castelos e fortalezas na areia: para o pequenote destruir, claro!
Fizemos uma poça à beira mar: depressa se transformou numa bela piscina de água salgada, e foi vê-los chapinhar.
E fomos a banhos: o Mar, calminho, estava amigo dos meninos.
Jogámos raquetes (nível 0 ou apanha bolas), rodaram os moinhos movidos a areia e as toalhas puxadas pelas tias: num girar constante traçámos a linha do comboio e fizemos muitos Uuh-Uuh´s.
Ainda houve tempo para um lanchinho, trazido pela avó R.: pão com manteiga e uns salpicos de areia.
E ao final do dia, uma família da Guarda (cujo nome desconhecemos), ofereceu-nos uma prancha para brincarmos, logo ali, e também amanhã e depois... Obrigado!
Uau que dia preenchido. E agora... este cansaço bom!
... ...
Ah, ainda faltou o tempo para jogar cartas com o avô J., lá teremos de ir mais um dia!

quarta-feira, 29 de julho de 2009

Alimento para a alma

Dias de grande felicidade... dias em que o tão pouco encheu todas as medidas. Dias de partilha para os nossos corações que voltaram a ser "twent'ager ", como há dez anos atrás.
Pequenos momentos, transformados em momentos hérculeos , tão únicos, tão preciosos! Perdi-me no tempo, no espaço e até em mim mesma. Um abandono tal que o meu vocabulário, pobre, não me permite descrever.

Reencontrámo-nos na aventura da descoberta de todas e cada coisa. Perdemo-nos e encontrámo-nos por "avenidas" de musgo, folhas, carvalhos e pinheiros, onde o centro era marcado por cursos de água cantante - canções de embalar emanavam de uns, verdadeiras orquestras faziam-se ouvir de outros - e dançavam os nossos olhos, os nossos risos e gragalhadas, bem como as nossas almas a par. Submergimos em alegria e contentamento.
Dias multicolores onde pulularam notas musicais das mais variadas tonalidades. Monumentos e museus, águas límpidas e frias, Natureza e verde, rafting no rio, geiras romanas e marcos miliares, caminhadas e passeios equestres, gastronomia regional e vinhos inusitados, e jardins, e, e ... e alimento para a alma!

quinta-feira, 23 de julho de 2009

E chegou a vez!



Vês, como chegou a vez de uma tarde a três:

Caminhar e os animais procurar, depois ainda baloiçar... encher os pulmões de aromas a terra molhada, pinho e eucalipto.
Sentar, descansar, levantar e "pic-nicar"... encher o coração com retratos de sorrisos sinceros, partilhar tudo com quem me deixa solta, confortável, livre!
Falar, conversar, observar-vos e ver-me também como se existisse um espelho em vós.
Gosto, gosto tanto! Tanto!
A e C lançaram este espírito, que se quer livre, num voo solto.

sábado, 18 de julho de 2009

Tempo para amar

Nos meus últimos posts pareço agarrada ao amor...
Pareço uma romântica? Uma apaixonada?
O que pareço não me importa, apenas quero continuar assim...
COM TEMPO para amar.

Simplesmente porque gosto...

Enquanto não superarmos
a ânsia do amor sem limites,
não podemos crescer
emocionalmente.

Enquanto não atravessarmos
a dor de nossa própria solidão,
continuaremos
a nos buscar em outras metades.

Para viver a dois, antes, é
necessário ser um.

Fernando Pessoa


Simplesmente porque gosto...

segunda-feira, 13 de julho de 2009

7 anos! A crise??? - Amor Vincit Omnia!


Pergunto e já vou respondendo
O amor vence tudo?... Sim! (Sem dúvidas ou gaguejos).

Sem amor nada sou... cantámos naquele dia...
Nem posso crer que sete anos passaram sobre o nosso Dia, aquele em que perante Jesus, familiares e amigos fizemos os nossos votos de união.
Como o tempo passou! Nem demos por ele.
Caminhar juntos, de mãos dadas - ainda que por vezes isso signifique caminhar mais devagar - é o único segredo.
Dizem que ao 7º ano vem a crise???
Eu não sei? Mas a cada ano que passa "a nossa "crise"" torna-se mais fácil, mais ténue. Hoje estamos melhor que ontem, e nessa lógica... amanhã estaremos melhor que hoje. Certo?
Para ser feliz temos de estar lá de alma e coração.

segunda-feira, 6 de julho de 2009

Leccionar, reflexão.

“Freud dizia que existem três tarefas impossíveis: educar, governar e fazer psicanálise. As três, bem ou mal, são realizadas diariamente. Mas penso que a educação é a que mais nos preocupa, pois falar sobre ela significa reflectir sobre o destino do homem, o nosso lugar na natureza e a relação com os nossos semelhantes. Somos tão exigentes com a educação como somos com a democracia: mesmo que funcione bem, achamos sempre que poderia ser melhor.
A complexidade do leccionar está na sua essência.”
Fernando Savater

É esse o sentimento: deveria ter feito mais, melhor!
Não por mim mas pelos alunos.
Só não sei se conseguiria, foi tudo tão difícil.

terça-feira, 30 de junho de 2009

A curiosidade consome-me nos momentos em que preciso deixar a leitura de lado

Ainda nem estou a meio do livro e o difícil é conseguir fechá-lo para cumprir todas as tarefas que ainda me esperam, ou para dormir, antes das 3h00 da manhã.
A curiosidade consome-me nos momentos em que preciso deixar a leitura de lado.
O livro? - Uma história de amor:
"Um amor inesperado", Susan Lewis.
Inesperado foi também este apego a uma história trágica. Se nos leva a submergir num mundo de dor e resignação, logo nos conduz a um outro mergulho enfeitiçante por inebriantes sensações .

sexta-feira, 26 de junho de 2009

A "mais grande" flor do mundo

Delicioso... belo.
O modo como uma pequena acção pode mudar o MUNDO, ou pelo menos os pequenos mundos de cada um.

Um conto infantil de José Saramago.
É só clicar no título da mensagem ou procurar no youtube:
http://www.youtube.com/watch?v=-KTL94Rl7CI
Depois cada menino(a) pode dar continuidade a esta história, fazendo dela uma nova história.

domingo, 21 de junho de 2009

Perfume que supera os espinhos


"Mesmo tendo terminado as nossas aulas, houve quem aproveitasse a tarde para me presentear com sorrisos extra. E agora que terminou o dia: vejo como sou feliz!
Sim, é verdade, a minha alma dança, rodopia... Agora revejo-vos não só naqueles sorrisos memoráveis, mas em todos e cada pormenor muito vosso:
- palavras tão bonitas que me significam tanto - as quais já li inúmeras vezes;
- palavras simples que fazem pulsar o coração mais rápido - sem comentários!;
- flores que são sol, mesmo agora, já noite - lindas!;
- aquele vosso brilho no olhar que atravessa a foto e me faz sorrir!
- um saco (gigante) carregadinho de "Good Look" - espectacular! - Adorei!
- a vossa caminhada (naquela tarde tão quente) só para me fazerem sorrir... - inacreditável!
Conclusão: estas alunas não existem!
Ah claro! Não são alunas, são Amigas!
Reconheço e estou muito grata pela pureza da vossa amizade.
Obrigado a todas!
Beijinhos doces nestas princesas... que hoje me deixaram sem jeito."
(5 Junho 2009, ESFRL)

sábado, 20 de junho de 2009

O perfume? Espinafres???...



Porque hoje preciso de força, porque hoje preciso de mimos.
Porque hoje necessito de um trampolim para amanhã... e depois... e para os tempos incertos que se avizinham.
Há palavras que valem mais que os "espinafres do Popeye" e nos fortalecem interiormente.
(Lembram-se do Popeye? Popeye o marinheiro... isso é que eram desenhos animados...)

Queria eu dizer... o perfume das rosas, daquelas que tenho no meu jardim e pelas quais sou responsável, e agora já vou no Popeye.... delírios de alguém que clama por férias! Delírios!
Mas voltemos ao perfume que têm as rosas:

"No dia anterior olhei bem para a nossa fotografia e pensei sem qualquer dúvida : - Vou ter imensas saudades disto. Não foi só mais uma professora que conheci entre livros e aulas de história... conheci muito mais que isso .
Obrigadaa! Obrigada por ser a professora maravilhosa que é . Obrigada por ser um exemplo a seguir . Obrigada por em tudo ter estado e tenho a certeza que irá estar sempre ao nosso lado .

Tenho a certeza absoluta que o futuro lhe irá sempre sorrir, por mais obstáculos que lhe possam aparecer , diga-lhe "Que se lixe"! E ultrapasse tudo, com toda a firmeza e perseverança que sempre mostrou ter . É forte ...

Num dia , eu e a Sandra estávamos a vê-la a ir embora da escola e a S comentou comigo "A Stora de Historia é mesmo boa pessoa, não é ? "... eu só respondi " Ya , é mesmo ! ".
Uma pessoa nem sabe o que dizer, a S disse tudo. Além de ser uma óptima professora , e não há avaliação nenhuma que mostre o contrário, ainda é uma óptima pessoa...
É assim mesmo ! - Para a frente é que é caminho ! Mais nada : )
Beijinhos , da sua sempre aluna (porque irei sempre aprender algo contigo)."
S.B (ESFRL, 2009)

sexta-feira, 19 de junho de 2009

Artes - Primeira infância


Está a chegar o 3º Festival de Artes para a primeira infância - Pinhal da Artes 2009.
Só conheço a primeira edição mas parece que o Pinhal está cada vez mais MÁgico.

3 a 5 de Julho - S. Pedro

in, http://pinhaldasartes.blogspot.com/

terça-feira, 9 de junho de 2009

Rosas...


“O tempo que perdeste com a tua rosa é que a tornou tão importante.
[...]
Sou responsável pela minha Rosa. - repetiu o principezinho para nunca mais se esquecer!"
(O Principezinho, Saint‐ Éxupéry)

É sempre bom ter um jardim de rosas para cuidar!!
Mesmo que com muuuuuuuuuuuuuuitos espinhos.
Há sempre um perfuuuuuuuuuuume... por mais ténue que possa parecer/ser.

Projecto concluído! UF!

Muitas horas a pensar em "Pão".
Uma semana de exposição.
Um dia de festa...
Uns breves minutos de sabor a pão...
Objectivo??? Lembrar as tradições, mas também a importância do pão numa alimentação saudável. E foi assim:


video

segunda-feira, 8 de junho de 2009

País enferrujado


Acabei de chegar de um dia de escola que só terminou às 21h00.

Estou cansada.
Estou amassada.
Estou angustiada.

Miúdos que não pensam.
Miúdos que não se lembram.
Miúdos que não escrevem uma frase/ideia completa com lógica.

Graúdos atados.
Graúdos embaraçados.
Graúdos "encostados".
Graúdos cansados.

Que desespero este país está mesmo enferrujado,
não admira que esteja quase parado.

quarta-feira, 3 de junho de 2009

Porque há pequenos grandes momentos...

"A vida ensinou-me...

A dizer adeus às pessoas que amo, Sem tirá-las do meu coração…
Sorrir às pessoas que não gostam de mim,
Para lhes mostrar que sou diferente do que elas pensam;
Fazer de conta que tudo está bem quando isso não é verdade,
Para que eu possa acreditar que tudo vai mudar…
Calar-me para ouvir;
Aprender com os meus erros - afinal eu posso ser sempre melhor.
A lutar contra as injustiças;
Sorrir quando o que mais desejo é gritar todas as minhas dores para o mundo;
A ser forte quando os que amo estão com problemas,
Ser carinhoso com todos que precisam do meu carinho,
Ouvir a todos que só precisam desabafar,
Amar aos que me magoam ou que querem fazer de mim depósito de suas frustrações e desafectos,
Perdoar incondicionalmente, pois já precisei desse perdão,
Amar incondicionalmente, pois também preciso desse amor,
A alegrar a quem precisa,
A pedir perdão, A sonhar acordado,
A acordar para a realidade ... sempre que seja necessário,
A aproveitar cada instante de felicidade,
A chorar de saudade sem vergonha de o demonstrar.
Ensinou-me a ter olhos para "ver e ouvir estrelas", embora nem sempre consiga entendê-las,
A ver o encanto do pôr-do-sol,
A sentir a dor do adeus e do que se acaba,
sempre a lutar para preservar tudo o que é importante para a felicidade do meu ser,
A abrir janelas para o amor,
A não temer o futuro,
Ensinou-me e ainda me ensina a aproveitar o presente,
como um presente que da vida recebi, e usá-lo como um diamante que eu mesmo tenha que lapidar, dando-lhe forma da maneira que eu escolher." Charles Chaplin
______________________________
Palavras dedicadas a pessoas especiais... elas/ele sabem quem são!!
11ºO

domingo, 26 de abril de 2009

A 19 de Maio de 1954 - foi Abril


Abril marca a vitória da liberdade, mas sobretudo a vitória dos que, ano após ano, sem medo, tiveram coragem para lutar pelo que lhes era mais importante.

Em 1954, para Catarina Eufémia, a residir no concelho de Beja, era importante garantir alimento para os filhos. A 19 de Maio, desse ano, Catarina e mais treze outras ceifeiras fizeram greve e reivindicaram, junto do feitor da propriedade onde trabalhavam, um aumento de dois escudos pela jorna. Veio o proprietário e a guarda.

Escolhida para representar as companheiras, Catarina a uma pergunta do tenente da guarda, terá respondido que só queriam "trabalho e pão". Como resposta teve uma bofetada. Ao levantar-se, terá dito: "Já agora mate-me." E o tenente Carrajola da guarda disparou três balas à queima-roupa.
Catarina Eufémia, de 26 anos, morreu, deixou três filhos, o mais novo com 8 meses. Era "de estatura mediana (1,65 m), de cor branco-marmórea, de cabelos pretos, olhos castanhos e de sistema muscular pouco desenvolvido".
No dia do funeral houve distúrbios, nove camponeses foram acusados de desrespeito à autoridade; a maioria destes foi condenada a dois anos de prisão com pena suspensa. Já o tenente Carrajola foi transferido mas nunca foi chamado a tribunal.

A trágica história de Catarina acabou por personificar a resistência ao regime salazarista.
Coragem invejável?
Fúria inconsciente? Loucura?
Revolta por demasiado tempo contida?...
Ou necessidade extrema?

Exemplo raro é com certeza!
_________________________________
Outros crimes cometidos pelo Estado Novo, in: http://blog.ebserver.org/geral/breve-lista-dos-crimes-do-estado-novo-e-de-salazar

domingo, 19 de abril de 2009

falar...


"Para falar ao vento bastam quatro palavras, para falar ao coração são necessárias obras."
(Padre António Vieira)

sábado, 18 de abril de 2009

Cinco anos de sobrinha... e de perguntas! Avós??????

Bisavó ----- Avó ----- Pai

Sobrinha- Pai, a avó R. é a tua mãe?
Pai- Sim!
S- E é a mãe das tias? Porquê?
P- Porque a avó R. teve três bébes, o pai, a tia T e a tia K.
S- Tia, a avó R. é tua mãe??
Tia- Sim!
S- Tia, quem é a avó velhinha?
T- É a mãe da avó, e por isso avó do pai e das tias.
S- Não! Ela é minha avó!
T- Sim, mas a avó velhinha é avó duas vezes... tua e do pai. Por isso é tua bisavó.

Sinceramente acho que ela não percebeu nada. Não, pois não?

É muita avó para cinco anos.
E são poucos anos para perceber o significado de "bi".
Vou imprimir esta imagem para lhe oferecer, talvez ajude!???
Uma certeza ficou... "a sobrinha" é mais rica que o pai e as tias, tem 3 avós (1 é a bi) e 2 "avôs".

(Almoço de Páscoa 2009)

quarta-feira, 8 de abril de 2009

Páscoa, à procura de um sentido

Praia e sol?
(Bronzear... Só isso?)

Apanhar o avião e partir?
(Fugir?)
Salpicos de mar e/ou de espiritualidade?
(Uma coisa não exclui a outra?)

Comer "ovos de Páscoa"? E amêndoas?
(Dizem os miúdos. E os graúdos?)

Ouvir lamentos, silenciados?
(Tão só escutar. E quem não precisa de falar?)
Amizades fortalecidas?
(Amigos de sempre e para sempre! - sem dúvida.)

------
Tranquilidade? (Relaxar.)
Família? (Saborear devagarinho.)
Tempo para nós? (Ler, reflectir, preguiçar, ver TV e dormir a sesta.)
Fazer folares? (Ahhhhhhh- recordar a infância.)
Partilha de tempo com quem importa? (Visitar e ficar, ficar!)
Ir a casa de Jesus, sexta-feira Santa, Sábado de Aleluia ou Domingo de Páscoa? (Alimento para a alma)
Reconciliação com Jesus, com o mundo ou connosco? (Leveza no intimo.)
Fortalecimento da alma? E do corpo? (Sim, ambos, (repor os 2 quilos perdidos).)
Formulação de novos propósitos para um amanhã mais espiritual? (Tentar.)
Renascer? (Como o Natal? Nascer de novo.)
... ...
Que indefinição, que confusão!
Tantos sentires diluídos, numa miscelânea de gentes, culturas, valores e princípios que, subtilmente, também me vão fazendo a mim.
Hoje, quero que, a minha Páscoa, seja sobretudo Alegria, Amizade, Paz e ... Alegria, Amizade, Paz... e Alegria, Amizade, ... quietude interior!

sábado, 4 de abril de 2009

Serenar




E tive tempo para serenar.
Tive tempo para estar, tempo para ouvir e até calar, para falar de vós e de mim,
de cansaços e alegrias, dores, inseguranças, projectos e conquistas...
Passado, presente e futuro.
E tive tempo!
Tempo para falarmos de tudo e de nada...
Tempo e serenidade para, ao vosso lado, sentir as vibrações da natureza, os aromas de cada árvore imponente, atravessar a "tempestade" de esvoaçantes "flocos de neve" cor-de-rosa... deslizar no caminho empoado... e ver as rãs saltitonas!
Tempo para falarmos de tudo e de nada...
Ah... este tempo de partilha que me serena a alma....
Um luxo! - tenho de concordar com a nossa "Cretty" - Luxo, é quando ainda nos é permitido ignorar esse malvado tempo que nos tem vindo a escravizar...
Urge ter tempo para partilhar!

sexta-feira, 3 de abril de 2009

Abandono

Abandonei as responsabilidades para brincar.

E vi a curiosidade, pelo movimento rápido e/ou lento dos carrinhos e bolas coloridos, naqueles olhitos de 11 meses.

E vi a destreza, em manipular brinquedos "de meninos" (diz-se), naquelas mãos, de menina, com 5 anos.


E vi tantos sorrisos nos meus mais que tudo.

Os mais bonitos sorrisos!

E inundou-me a felicidade. Uma felicidade incomensurável.

Mas porque pensam algumas pessoas que são os únicos seres que importam?

A MÃE num dia de partilhas só nossas

E eis que chegaram todos para jantar.
Mas... nem está boa?

Nem como correu o seu dia... nem está triste? Está cansada?
Provavelmente nem olharam para a "dona da casa", que estava adoentada, cansada e frágil. Até tinha passado o dia inteirinho nas urgências do Hospital (mas não contou a ninguém - ninguém perguntou!).
É sempre delicioso partilhar momentos com aqueles que importam, mas "ele há com cada uma".
Fico espantada quando, até em período de férias, se pede o favor de "me passar a roupa a ferro". Com maior ou menor ginástica, com maior ou menor número de horas roubadas ao sono, sem ter de trabalhar no dia seguinte, acho que conseguimos tomar conta da roupa... não?
Tive de falar, tive de me meter onde não era chamada:
- "Não! A Mãe precisa descansar!"
Não posso ver estas coisas.
Sempre sobrecarregada. Não pára nunca, em prol da sua prole, por isso está assim - doente. Bolas!
"Mãe" também precisa de férias, de descanso.

quinta-feira, 2 de abril de 2009

Sementes valiosas





"Em cada semente lançada à terra um novo milagre de pão",

podia ler-se algures por aqueles dias.
Mas no meu íntimo, aqui dentro do peito, vi em cada semente lançada à terra um milagre de amor. Aquele amor de Mãe... indizível... como só a nossa pode amar-nos.
Um amor que escolheu os vasos mais bonitos,
Um amor que colheu a terra mais fértil debaixo de carvalhos,
Um amor que seleccionou as melhores sementes,
Um amor que as lançou à terra, regou e mimou cada dia.

Um amor incondicional, um amor incansável, um amor sem explicação...
que só pode ser de MÃE.

quarta-feira, 1 de abril de 2009

Justificar


Parece que preciso de me justificar... É, acho que sim, de certa forma sim... mas será a mim mesma???
Pareço ter calçado um sapato apertado! Que me deixa desconfortável.

Fácil, não é!

Porque existe, aquela coisa, chamada consciência... e por vezes sinto-me "indecente" (acho que não é esta a palavra certa, mas vou deixá-la)... porque EU SOU CONTRA este modelo, (algum tem de ser implementado), na verdade também não posso fugir.
E fugir para quê? Se na próxima esquina (ano) serei apanhada.

Decisão tomada, assunto arrumado e não vou voltar a este ponto! Outros há para dar andamento.

terça-feira, 31 de março de 2009

Em gUeRrA

E agora??????
Comprei uma guerra, mas que guerra... sempre debaixo de fogo.

Não, não estou a desafiar nínguém....
Aliás... devo confessar que estou, mas é um desafio que lanço apenas a mim mesma e a ninguém mais.
Não me julgo mais, nem melhor, muito menos maior (LOL)...
A verdade é que a vida faz mais sentido quando existe um objectivo, uma meta. Até posso não conseguir atingir o que me propus, mas uma coisa importante já estou a fazer: a enfrentar e destruir os meus medos interiores.
De qualquer modo eu tinha de fazer a avaliação, não há muito de novo para além do que já nos é exigido pela condição de contratado, ou até, diria mesmo, para além do que já exigimos a nós mesmos quando querems fazer o melhor.
O que acresce maioritariamente e pesa.... são os sussuros de uns colegas, a ausência de bons dias, de outros, os olhares fulminantes de quem está contra qualquer tipo de avaliação e os olhares invejosos de quem não teve coragem para enfrentar a "maioria instalada".

Não, não estou arrependida, magoada sim, um pouco, pela hipocrisia e podridão do ser humano.
Não fazer nada para melhorar a Escola é preocupante, mas desejar/impedir que os outros o façam, é mais grave ainda.

Hoje estou forte e preparada para a batalha, só não sei até quando...

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2009

E pasmem comigo!

A descriminação, a desigualdade e a cisão entre professores é por demais evidente.
Sim, isso todos o sabemos...

Sim, sobretudo nós os contratados que, [deslocados de casa, com um número de turmas por vezes quase incomportável... com a ansiedade de parar um ano em cada escola (isto com sorte!), com o cansaço de quem está sempre a começar do zero... com meninos sofridos cujos problemas ficam por solucionar a meio... e com a angústia de romper afectos construídos a pulso...], nos vemos remunerados em menos de metade, quando comparados com muitos dos colegas que integram os Quadros de Escola, já para não falar que nem sempre somos tratados com a dignidade merecida (já não falo em igualdade).


Neste ano ainda, vi-me envolvida num regime de contratação que não me permite recorrer ao Artº.102, nem ter acesso aos beneficios de saúde iguais aos colegas (QZP ou contratados), só porque entrei por Oferta de Escola (espero NUNCA ficar doente).

E agora, PASMEMOS, a própria LEGISLAÇÃO!
Eu até pensava que era professora!

Os meus alunos assim o pensam também, e é como tal que me reconhecem.

Afinal andamos todos enganados!

Ora vejamos este despacho do ME
:
::::::::::::::::::::

Despacho n.º 20131/2008

A alteração do Estatuto da Carreira dos Educadores de Infância e
dos Professores dos Ensinos Básico e Secundário (ECD), (...)
6- As percentagens máximas previstas no presente despacho aplicam-
se, em cada agrupamento de escolas ou escola não agrupada, de forma independente a cada um dos seguintes universos(...):
a) Aos professores titulares que exercem funções de avaliação, com
excepção dos coordenadores dos departamentos curriculares ou dos coordenadores dos conselhos de docentes, na situação prevista no artigo 37.º do Decreto Regulamentar n.º 2/2008, de 10 de Janeiro;
b) Aos restantes professores titulares;
c) Aos professores;
d)
Ao pessoal docente contratado.
:::::::::

Afinal sou professora na mesma Escola Pública que os meus "pares"
[muitos deles, realizaram o curso na mesma Faculdade que eu], ........ ou sou pessoal?? PESSOAL???
::::::::
Como estagiária (2002) fui PROFESSORA estagiária!! Hoje, PESSOAL??
::::::::::
Há alguém que consiga clarificar-me as ideias?? É que estou um "pouco" baralhada!

terça-feira, 10 de fevereiro de 2009

Perdeu o colo...
















Pode chamar-se Pedro, Tiago, Fábio, Miguel ou Francisco,
Não interessa, o que importa é que perdeu o colo!

Está a chegar a hora da aula...
E vou enfrentar aquele menino,
Aquele menino que perdeu o colo,
e com ele o sorriso.

Faz algumas horas que penso e repenso
Mas o que posso dizer?
Mas como devo agir?...
Fico angustiada... o tempo urge...

E o que posso dizer?
Como devo agir?
Esgotou-se o tempo...
Perante aquele olhar vago, triste, de olheiras profundas,
Não consegui o melhor para dizer, nem a atitude certa para agir.
Simplesmente saiu de mim:
Um sorriso aberto e um beijinho de solidariedade.

Terá servido de reconforto?
Terei conseguido transmitir
a forma como desejo que divida comigo essa dor?
O quão disponível estou para o abraçar.

Queria dizer-te:
Não deixes que essa ausência de colo
se torne num abismo.
Há tantas pessoas dispostas a colorir os teus dias!

Beijinho a ti e a todos os meninos sem colo.

terça-feira, 20 de janeiro de 2009

Vida, uma soma de instantes

Toda a eternidade cabe num segundo. E o que é um segundo? Um momento? Um instante? E, além disso, esse momento, esse instante que se capta, e a captação de uma realidade do presente ou, apesar de um segundo apenas, ela é já passado, e inexoravelmente passado, porque simplesmente o presente não existe? Tantas perguntas, tão poucas respostas, muitas dúvidas, nenhumas certezas, ou melhor, uma certeza apenas (...). E essa certeza é a de que, arrancados à vida, todos estes momentos são ao mesmo tempo passado e futuro, e isso é razão fundamental para perpetuar a arte, que o mesmo é dizer, perpetuar a vida. Essa vida feita de encontros e de desencontros, de ternura e de lágrimas, de riso e de tristeza, de desilusão e de esperança.
Joaquim Pessoa